Quando eu tive bulimia…

Eu passei por muitas coisas. Muitas coisas ruins. Algumas boas, é verdade. E quando passamos por coisas ruins é como se nossa alma ficasse marcada para sempre. Por isso mesmo que eu me trabalhei muito, num nível profundamente emocional, do meu jeito. Fiz as coisas que achei que precisava, trabalhei minha espiritualidade, minhas emoções. Sofri mais ainda pra fazer isso, mas pelo menos hoje eu falo de boca cheia: passou.

E uma dessas coisas foi a bulimia, que eu nem sabia que chamava bulimia na época.  Um ano antes de entrar na faculdade de publicidade eu fiz uma dieta. Eu estava começando uma vida nova, estava fazendo cursinho e ia, finalmente, ganhar o mundo. Fiz uma dieta super severa e emagreci muito, a ponto de parecer uma girafa com tanto pescoço. Cheguei a minha menor marca de peso até hoje.

Imaginem como eu fui elogiada! Os parentes se acotovelavam na festa de natal para me dar os “parabéns”. As amigas invejavam, as primas pediam a receita. E sim, eu sei que ficaram todos muito felizes e aquilo, aquela felicidade das pessoas começou, em determinado momento, a me incomodar muito.

Mas como gente é, bem, gente, junto com o “parabéns” sempre vinha o “agora é só manter”, como uma cobrança velada de “não me vá engordar de novo”. Engordar de novo era tipo nadar e morrer na praia. Era como se eu estivesse presa num processo eterno. Mal sabia eu, mas eu estava e já estava a um bom tempo, enfim.

Entrei na faculdade e na vida academia cheia de dúvidas, medos e expectativas, mas trazendo uma carga muito pesada do passado, que eu não entendia direito nem o que era. Quase no último ano de faculdade comecei a ter ataques de pânico e, descobri depois, depressão. Passei por centenas de P.S. achando que ia morrer às três da manhã, sem que ninguém (isso era 1999) soubesse o que eu tinha de verdade. E, claro, no meio disso tudo, comecei a engordar novamente.

Só que quando fazemos dietas muito restritivas, como eu fiz, a gente nunca engorda só o que já tinha. Engordamos o que já tínhamos e muito mais. Em um ano dessa loucura eu engordei 40 quilos. As crises compulsivas começaram a ficar bem frequentes e, consequentemente, os episódios de indução do vômito.

problemas-dentais-da-bulimia-6Acho que, naquela época, eu preferiria morrer no P.S. mais do que voltar a engordar. Comecei com os dedos, depois de jantares mais caprichados com as amigas. Depois das crises de compulsão, que geralmente vinham com o cair da noite. Enfiava os dedos na garganta até vomitar o que tinha comido ou pelo menos parte disso.

Por sorte, se é que se pode chamar assim, eu logo aceitei o tratamento da depressão e fui parar no psiquiatra. Ali ele fez um questionário enorme, com milhões de perguntas. No meio delas tinham perguntas relacionadas a isso. Ele conversou comigo nas sessões e sim, eu estava também com bulimia. Depressão, pânico e bulimia. Tudo junto e misturado.

O tratamento então foi feito todo junto e eu acabei não desenvolvendo mais o transtorno alimentar. Mas sei bem o que eu sentia e o porquê do desespero de emagrecer a qualquer custo. No meio disso tinham os dias de jejum, os dias em que eu só tomava limonada com adoçante ou litros de guaraná Dolly diet (sim, a Dolly foi a primeira marca a lançar refrigerante sem açúcar) e mais uma dúzia que dietas malucas. Um dia estava eu tomando um guaraná que minha mãe me trouxe, feliz da vida, pensando como eu já achava o sabor do diet bom, quando percebi que ele não era. Soltei um grito de susto e fui para o banheiro para vomitar “aquilo”. O desespero é inimaginável.

Até entendo as ANAS, garotas que tem anorexia por exemplo, que fazem grupos de “autoajuda”, uma dando força pra outra pra não sair da “dieta”. Sei o que elas sente e porque fazem aquilo. Não julgo, apesar de saber que na realidade aquilo tudo é puro sofrimento. Hoje, sentindo o que eu sinto pelo meu corpo, não faz sentido. Mas já fez, e muito.

Então, se você se sente assim, se sente que não consegue comer nada sem contar as calorias. Se está deixando de comer ou provocando vômito, procure ajuda! Existem muitos centros de ajuda gratuitos ou até mesmo profissionais gabaritados para isso. Coloco aqui alguns sinais da bulimia , se sentir que está se identificando procure ajuda.

10 sinais da bulimia:

  1. Usar regularmente laxantes e diuréticos;
  2. Praticar excessivamente exercício físico;
  3. Comer grandes quantidades de alimentos escondido;
  4. Sentimentos de angústia e de culpa após comer em excesso;
  5. Não engordar apesar de comer muito;
  6. Inflamações frequentes na garganta;
  7. Aparecimento recorrente de cáries dentárias;
  8. Calosidade no dorso da mão;
  9. Dores abdominais e inflamações no sistema gastrointestinal frequentemente;
  10. Menstruação irregular.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s