Freud estava certo?

1

Achei isso a internet. Em algum Stories, já que está todo riscado. Minha formação é freudiana, mas eu juro que essa parte eu não me ative. Pensava: Freud estava doido, por que senão para que serve a terapia?

Anos e anos depois eu digo que talvez, no meu caso, ela serviu para eu não ficar pior. Talvez o meu destino fosse estar numa clinica internada, cheia de medicamentos que me fariam parecer um zumbi. Procurar processos de cura interna, melhoraram isso. Mas sim, existe um limite.

A terapia não apaga a realidade. A terapia não vai apagar os meus anos de abusos – físicos, sexuais e emocionais. Não vai apagar  o que eu ouvi sobre mim mesma. Não vai apagar como eu senti por anos a fio. A terapia vai fazer com que, daqui para frente, você entenda que isso não era verdade, era apenas a opinião das pessoas mais importantes da sua vida.

Talvez esse seja o problema. Elas eram as pessoas mais importantes da sua vida e elas erraram. Claro que erraram, erraram com elas também. E erraram com quem errou com elas. E numa sequencia infinita de merda em merda, a coisa chegou em você carregada de dor e drama. E aí? Como faz? Briga a vida toda para ser aquilo que você acha que tem que ser?

Eu confesso que estou bem cansada. Bem cansada de tentar me tornar aquilo que eu não sou. Não, não escolhi a maioria das coisas que eu sou, mas acho que cheguei em um momento de aceitação. Como as cinco fases da aceitação da morte, a última barreira, a hora que você simplesmente relaxa naquilo.

Talvez essa seja a minha cura final. O momento em que as coisas se encaixam. Meu inconsciente é legal comigo, ele me diz o que eu ando precisando. Ele sempre me fala. E eu sei o que eu quero agora e vou atrás disso,mas ….eu não sei mesmo se vou conseguir. Não sei simplesmente porque é complicado. Não sei porque existem sim fios queimados em mim que não vão se consertar. Talvez isso seja a maturidade. Talvez seja só  cansaço mesmo.

Gasparetto fala que adora o cansaço da pessoa. É o momento em que ela se entrega, para de lutar. Sai da guerra com a vida. Eu sei o que eu sou hoje e sei que posso simplesmente seguir no meu caminho, relaxar nele, parar de esperar por tanto. Esse é o meu caminho? Beleza. Tô dentro.

Sei que preciso de paixão. Paixão pelas minhas coisas, principalmente. Sei que não posso viver sem escrever. Não sei fazer isso. Sei que a vida precisa de arte, senão não faz sentido. Sei que ainda preciso sentir muito. Sei que minha cabeça me dá planos e mais planos, mas poucas maneiras de resolvê-los. Sei que preciso focar nisso, mais do que nunca.

P.S Aí fui ler a meditação do dia do livro e ei-la aqui:

Nenhum terapeuta pode ser a solução remunerada para o problema do paciente. Depositar sua vida nas mãos de um terapeuta não é o mesmo que levar um carro ao mecânico. Você é responsável pela identificação e conserto daquilo que não funciona bem.

3 comentários sobre “Freud estava certo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s