Entre o bem e o mau

Pensei em escrever uma coisa bem prática, mas hoje tá difícil. Depois de uma semana indigesta, só posso dizer que a vida é sim justa. Que em algum momento as pessoas más pagam pelos seus erros e que os bons recebem seus prêmios.

Mas e aí? O que é ser bom ou mal? (e me perdoem se eu errar o l ou u um monte de vezes) Será que as pessoas são isso, duas faces de uma mesma moeda? Ou será que sucumbimos ao bem ou ao mal dentro de nós?

Fiz uma tatuagem do Darth Vader, essa que você está vendo na foto abaixo. Fiz porque sou meio geek e bem fã de Star Wars mas me perguntam: por que esse personagem?

Simples, como um lembrete, um bom lembrete. O lembrete eterno de que tenho as trevas dentro de mim. Que existe uma parte minha que é um demônio feroz e faminto, que não tem a menor intenção de cuidar de mim ou das pessoas ao meu redor. Se eu já flertei com ele? Muitas vezes.

Algumas vezes foi um flerte interno, contra mim mesma. Quando tentei o suicídio por três vezes. Outras foram para fora, quando quase matei um menino de rua que me assaltou em um farol. Sim, temos momentos de furia que podem ser contra nós ou contra os outros. Às vezes, como no caso do suicídio, contra os dois. Mas podemos ir ou não.

Algo segurou a minha mão quando queria morrer. Algo escreveu a carta e esperou um segundo de coragem para se jogar da janela, mas outra coisa em mim me deteve. Uma segurou uma arma na minha boca, mas outra coisa me deteve. O que me deteve? O que me fez optar pelo bem, ao invés do mal? O que me segurou?

Eu chamo do meu lado luz. E todo mundo que tem muita luz, tem muita, muita sombra. E as minhas continuam me apavorando às quatro da manhã, doidas para me levar para o caos, como em um filme de terror. Mas hoje, quem manda nelas sou eu. Eu que planejo, eu que opero, eu que mando na porra toda. Aqui só entra o bem, mas mantenho esse lado bem domado, domesticado e dócil. Sim, às vezes ele mostra a suas garras. Mas o Darth – personagem que sucumbiu às trevas – me lembra de que está tudo em mim. O controle é meu! O domínio é meu.

Eu sou dona de mim!!

Publicado por Andrea Pavlo

Psicoterapeuta, taróloga e numeróloga, comecei minhas explorações sobre espiritualidade e autoconhecimento aos 11 anos. Estudei psicologia, publicidade, artes, coaching e várias outras áreas que passam pelo desenvolvimento humano, usando várias técnicas para ajudar as mulheres a se amarem e alcançarem uma vida de deusa. Mãe da Nina de quatro patas, gosto de viajar, ler e sempre continuar estudando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: