O fim da revista Boa Forma: uma nova era se avizinha?

Quem é gorda e tem mais de 30 anos, como eu, sabe o que foi a Revista Boa Forma na fila do pão sem glúten. Simplesmente o manual de como o seu corpo deveria ser e, claro, a prova concreta, com páginas e fotos, do quanto você era inadequada.

Comprei a minha primeira Boa Forma lá pelos 15 anos. Eu achava que aquelas informações poderiam, finalmente, me ajudar a se quem eu deveria ser. Minha mãe gritava na minha orelha o quanto eu era inadequada e sim, eu precisava fazer alguma coisa, não é mesmo? Informação na internet não existia, nem a própria internet, então ela reinava absoluta, cagando regras a torto e a direto, do que se poderia ou não usar e de como o seu corpo deveria ser.

12345451_1678232539083802_7608465160291177284_nPior: cheia, lotada de mentiras e Photoshop. Mentiras nas idades das personagens, nos métodos de emagrecimento, possivelmente do peso e da medida. Algumas medidas eram irreais e nunca vi nenhuma vir com um placa dizendo “acreditar na Boa Forma causa dismorfia corporal e síndrome do pânico”. Não! Ali, estava a “verdade absoluta”.

Toda edição de outubro tinha o desafio do verão. Sim porque você, gorda e nojenta, precisava entrar no biquíni com aquela barriga zerada e coxas duras. Duras como os termos que eram usados na revista naqueles tempos. Quem tiver uma edição antiga é só abrir, em qualquer página. Era assustador. Mas eu acreditava. Em cada palavra.

Sabemos que a questão foi financeira – crise “they say” – mas na realidade uma revista como aquela não tinha mais espaço no mercado. Por mais que eles tentassem modificar o palavreado gordofóbico ao longo dos anos, as fotos das saradas e magérrimas seguiam incólumes. Não dá pra colocar uma plus size na capa de uma revista com esse nome, não é mesmo? Incoerente ou não, era algo que ainda perpetuava o padrão vigente e fazia a mulher se sentir “oh, uma bosta”.

meme-1555-ta-o-uma-bosta

E agora ela acabou. E o grito de todas as “fora de forma” está solto e sendo atirado aos quatro ventos. Libertem a mulher dessa obrigações, parem de nos amarrar em conceitos vagos e negativos. Somos lindas como somos: plus, magras, saradas ou Gracianes. Somos quem somos e temos o corpo que compete ao nosso estilo de vida e às nossas escolhas e ninguém, ninguém mesmo tem que dizer o que é certo ou errado.

Vamos mudar o nome para “Vida saudável” ou “Vivendo melhor”. Coisas que realmente façam sentido, como uma boa alimentação e alguns exercícios. Vamos falar da nossa cura interior, de como precisamos nos amar e o quanto precisamos aceitar quem somos, seja lá como for. Ooops, mas isso é o objetivo desse blog! Não é que a revista Boa Forma realmente me deixou uma lição: o que não fazer! Nunca! Com você mesma e com as amiguinhas.

Sim, é o fim de uma era. O começo da liberdade e do amor próprio! Ainda bem que eu vivi (e não morri com alguma das dietas da moda) para ver isso!

SAMSUNG DIGITAL CAMERA

Foto do “antes” que eu mandava todos os anos para a revista Boa Forma, esperando ser magra e ganhar uma viagem! 

E você? Também sofreu com esse manual do demo? Deixe o seu comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s