Impressões sobre o espetáculo “A Mulher de Bath” com Maitê Proença

Terça-feira fui a um evento de moda plus size em São Paulo, no Teatro da Faap . E qual não foi a minha surpresa ao ganhar um par de ingressos, num sorteio, para assistir essa peça.

Teatro no Brasil é complicado. É caro, precisa ir antes comprar os ingressos, os estacionamentos são exorbitantes. Sempre que quero assistir uma peça penso nisso e desisto. Mas aí eu ganhei né? Parecia mais fácil.

Não sabia do que se tratava. Li a sinopse e só pensei que possivelmente meu namorado morreria de sono. Um texto de 1300, pré-renascimento, feminista. Fiquei ressabiada.

Mas amo a Maité Proença – e confesso que escuto na minha cabeça agora um coro cantando “Maitê Proença nua em Playboy finalmente aleluia” – sempre a achei linda, inteligente e articulada. Lá fomos nós.

Primeiro que fui no domingo e é tudo mais tranquilo. Não tem trânsito e nem estacionamentos exorbitantes. Até consegui uma vaga na rua. O teatro da Faap é pequeno e aconchegante e já nos deparamos com o cenário nu, todo a mostra. Não tem coxia, fica tudo aberto e, depois de nos acomodarmos bem na frente – e ao lado do ator Sérgio Mambenbe que foi prestigiar a colega – vimos a Maitê entrar lá atrás e se alongar antes do espetaculo.

Tudo meio informal. Mais informal do que se espera de qualquer coisa feita na renascença. Num belíssimo vestido vermelho, cabelos loiros presos numa rede com detalhes de pérolas delicadas, Maité era acompanhada do ator Alessandro Persan, que cuidava do som e das luzes, contrastando com o clima bucólico. Muito interessante, pensei.

Ela fez uma pequena abertura para nos posicionar no tempo histórico e no porque da personagem escolhida. Desceu as escadas, flertou com meu namorado perguntando se ele estava nervoso e deu um abraço no já referido colega.

E entrou lindamente na personagem. Uma mulher da renascença que conta seus cinco casamentos. Como se portou, quem amou, suas espertezas, romance, sexo, vinganças. Você não consegue tirar os olhos dela e da belíssima calda do seu vestido que esvoaça enquanto ela se move, como uma pluma, no palco. Apaixonante.

O espetáculo terminou sua passagem por São Paulo (que sorte a minha) mas está indo agora para o Rio de Janeiro. Aos cariocas eu só digo: vale demais a pena.

Curta a página do espetáculo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s