É só o amor…

Anos atrás, em uma das minhas experiências com a Ayuaska, tive um insight interessante. Em um grupo de estudos do feminino, eu acessei a frase “o amor é a cola do Universo”. Achei tão linda, fazia tanto sentido…

Anos depois, mais especificamente na quarta-feira passada, vou a um grupo de oração, indicado por uma cliente. Um lugar pequeno, fundado por 12 mulheres e mais a Mãe Maria. De novo, toda a energia do feminino. O dirigente leu um texto, falando sobre como precisamos dos problemas para aprender (sim,  aprendemos por contraste). E depois outro, chamado “Amor” e ditado por Emmanuel (mentor direto de Chico Xavier).

E, no meio de uma linda poesia, “o amor é a cola do Universo”

Amor é a sua amiga te abraçar, na frente do restaurante, porque você está com frio. Amor é o seu pai largar tudo o que está fazendo porque você precisa dele para escolher um novo celular. Amor é um desenho na sua lousa da cozinha, com um “eu amo a Dedei” escrito pela sua sobrinha de seis anos.

Amor é a sua gatinha pedir carinho, assim,no meio da noite. Amor é um “melhorou da gripe?”, mesmo que essa seja uma única frase. Amor é um bolo de milho, trazido por uma paciente. Amor é uma sala de maternidade cheia de gente esperando uma nova vida e também aquele pai solitário do quarto ao lado.

Amor é querer mudar tudo, entregar a sua vida para trazer outra vida ao mundo. Amor é um almoço regado à coxinha e conversa de uma amiga-mãe. Amor é trazer uma caixa de lenços e lavar a louça quando você está doente.Amor é o carinho pela sua casa, pelas suas coisas. Amor é ter flores, sempre frescas.

Amor é tudo o que nos cerca, pequenas coisas, que deixamos para lá porque estamos muito ocupados com a nossa dor. As dores que não curamos, que nos deixam numa zona de conforto desconfortável. Precisamos querer sair dela, mesmo que seja por alguns segundo, para entender o que é o amor. Amor é tudo isso. E, ao mesmo tempo, é nada.

Parando de falar. Para começar a sentir.

 Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s